Rascunhos da Alma, dedicado à literatura poética. 

Haikai

Haikai

          

         

          O poema japonês conhecido como KIGO (estações sazonais) tem sua origem através do poeta japonês Matsuo Bashō (1644-1694). O uso poético de elementos das estações do ano já era comum desde o Man'yōshū, a mais antiga antologia de poemas japoneses, datada do século VIII.

         Com a imigração japonesa no Brasil no início do século XX esta cultura difundiu-se e ocorreu a adaptação recebendo o nome de HAIKU ou HAICAI.             A primeira divulgação do haiku na literatura brasileira aconteceu em 1919. Afrânio Peixoto (1875-1947) no prefácio do seu livro Trovas Populares Brasileiras, além de apresentar o haikai, explica:

"Os japoneses possuem uma forma elementar de arte, mais simples ainda que a nossa trova popular: é o haikai, palavra que nós ocidentais não sabemos traduzir senão com ênfase, é a epigrama lírico. São tercetos breves, versos de cinco, sete e cinco pés, ao todo dezessete sílabas. Nesses moldes vazam, entretanto, emoções, imagens, comparações, sugestões, suspiros, desejos, sonhos... de encanto intraduzível". http://www.kakinet.com/caqui/brasil2.htm

        O haicai clássico é uma poesia de estação e suas efemeridades evidenciando os elementos que a compõe, bem como, o que o homem vivencia em cada estação. É uma arte é simples e sua mensagem é subjetiva. Pode-se afirmar que a elaboração do Haikai resulta da sensibilidade do poeta no exercício de seus cinco sentidos em seu cotidiano. Um pequeno poema com 17 sílabas divido em três versos, o primeiro verso com 5 sílabas, o segundo verso com 7 silabas e o terceiro verso com 5 sílabas. Não requer rima e título, mas a métrica deve ser respeitada.

 

   

001

Pede carona

passageiro do tempo

chega outono.

 

002

Forram caminhos

silenciosamente

folhagens secas.

 

003

Manhã outono

frágeis folhas balançam

vestindo cobre.

 

004

Intimidantes

espantalho lavoura

devoradores.

 

005

Tarde outonal

torta doce, brioches

chá amizade. 

                              

 006

Árvores secas

desnudam-se ao tempo

curvam-se rés chão.

 

007

Frutas gostosas

na árvore ou mesa

agradeço deuses.

 

008

Tapete folhas

pintadas de outono

cobrem gramado.

 

009

Sou como folhas

incertezas veredas

soltas rajadas.

 

010

Chuva miúda

umedece as vestes

molha fronte.

 

011

Pétalas soltas

sinfonia do vento

dançam momento.

                                   

012

Brisa sussurra

os segredos do vento

nas teias tempo. 

                                  

013

Gotas orvalho

umidificam asas

coruja branca.

 

014   

 Vento matreiro

assopra escondido

flores algodão. 

 

015 

Santos repousam

cobertos manto roxo

misericórdia.

 

016

Domingo Ramos

Jesus bênçãos especiais

renascimento.

 

017

Páscoa promessa

universalidade

renasce vida.

 

018

Badalar sinos

avisa liturgia

religiosos.

 

019

Adoce, vidas

ofereçam crianças

achocolatada.

 

020

Fitilhos, laços

celofanes brilhantes

cobrem ovinhos.

 

021

Tempo pessach

passagem libertação

povo Israel.

 

022

Ovos páscoa

simbolizam energia

fertilidade.

 

     023      

                                        

Só consumismo

Coelhinhos, ovinhos

fé esquecida.

 

024

Tempo renovar

busca recolhimento

Intensidade fé.

 

 025

Decadência

coloriu infinito

suaves matizes.

 

026

Dama da noite

fragrâncias veredas

noite outono.

                                                                                                              

027

Rotas dos ventos

viajando quadrantes

movem areias.

 

028

Mudança clima

pétalas desfolhadas

repousam terra.

 

029

No alto moinho

cata-vento girando

direção vento.

 

030

Brisa noturna

jasmineiro exala

perfuma noite.

 

031

Santuário

atapetada folha

                                                 matiz ferrugem.                                                                        

 

032

Vento balança

vestuários sacerdotes

procissão cristã.

 

 033

Gansos selvagens

enredados ramagens

mergulharam rio.

 

034 

Só murmúrios

folhas enferrujadas

fofoca tempo.   

                                                     

035

Vendaval soprou

folhas dependuradas

árvore quintal.

 

036

Sinal de vida

chuvaradas imensas

campos lavouras.

 

037

Escorrem galhos

 

gotículas nevasca

banho orvalho.

 

038

Ensolarado

alegria outono

suavidade. 

 

 039

Folhas perdidas

formigueiro agita

   escondidinhas.  

                                

040

Fiéis caminham

serragem colorida

eucaristia.

 

041

Estação sombras

espécies natureza

tudo fenece.

 

042

Sinos de vento

balançam em lamento

perdidos tempo.

 

043

Dilúvio caindo

inundação intensa

ganso boiando.

 

044

Anoitecendo

revoada pássaros

aves migrando.

 

045

Fugiu o vento

direção pradarias

flash relâmpagos.

 

046

Sopros sussurram

vento segue jornada

semeia temor.

 

047

Enluarada

tradição Pedro, João

Sto. Antônio.

 

048

Fogos pipocam

simpatias bacia

noite São João.

 

049

Sto. Antônio

reza prenda solteira

casamenteiro.

 

050

Noite arraial

vestidos enfeitados

chapéus coloridos.

 

 

051

Festejos Pedro

bandeiras coloridas

tremulam vento.

 

052

Folguedos João

labaredas queimando

bebendo quentão.

 

053

Danço quadrilha

como pipoca doce

festa arraial.

 

054

Chegam noivinhos

carroça enfeitada

saltitam rojões.

 

055

Quebra amendoim

fornalha assa pinhão

cocadas quindins

 

056

Vinte e nove

São Pedro pega chave

final tradição.

 

 

057

Rede varanda

balança pra lá pra cá

Menina linda.

 

058

                               Vento suave                               

acaricia folhas

no balé final.

 

059

Noite borrasca

esqueletos sinistros

luar minguante.

 

060

Aves não cantam

humanidade dorme

claro escuro.

 

061

Ar congelado

Criança brinca rua

mantas, botinas.

 

062

Névoa cinzenta

cobre estrelas e lua

noite desponta.

 

63

Água congelada

patos deslizam patins

espelho lagoa.

 

064

Pegadas neve

testemunhas do tempo

silêncio bosque.

 

065

 Homens no bosque

espreitam suas presas

caçam na trilha.

 

066

 Inverno chega

ursos gostam hibernar

preguiça frio. 

 

067

A neve decora

telhados e calçadas

cristal gelado.

 

068

Flocos nevado

revestem os gramados

árvores nuas.

 

069

Gramado branco

impede caminhada

deslizante.

 

070

Branco congela

aroma biscoito mel

café esquenta.

 

071

Fogão de lenha

aquecedor cozinha

mãos descongelam.

 

072

Manhã inverno

ficamos cochilando

cobertas penas.

 

073

Gato cesta

agradece presente

cobertor de lã.

 

074

Mistérios vida

enigmas natureza

só Deus conhece.

 

075

Nevasca fria

tudo silencioso

brancura vida.

 

076

Toalha branca

iguarias enfeitam

café matinal.

 

077

Geada Alma

no folhear lembranças

brotam lágrimas.

 

078

Silêncio noite

marulhada das vagas

cais no inverno.

 

079

Alma em neve

esculpida na pedra

emoções frias.

 

080

Lobos uivando

lua cheia firmamento

gelados neve.

 

081

Suavemente

névoa cinzenta cobre

os arranha-céus.

 

082

Lago do jardim

congelada suspensa

estrela d’Alva.

 

083

Encalço neve

testemunham vastidão

ermitão vida.

 

084

Árvores nudez

invernada congela

fasciculadas.

 

085

Tristes galhos nus

árvores energias

encarquilhadas.

 

086

Sol inspira-se

derrete campos neve

crianças brincam.

 

087

Neblina forte

umedece casacos

trabalhadores.

 

088

Vento gelado

desnuda noite julho

gera estrela.

 

089

Letras escritas

palavras pergaminho

expressam amor.

 

090

Momento fugaz

presente plenitude

realizações.

 

091

Botões roseiras

descerraram pétalas 

colhi espetei.

 

092

Rosas murcharam

camélias desfolharam

chão atapetou.

 

093

Rosas vermelhas

amor, sedução, paixão

fortes emoções.

 

094

Ar primaveril

sementes renovadas

renascem vidas.

 

095

Um clik mágico

floradas desabrocha

esplendorosas.

 

096

Igreja branca

badala som dos sinos

ave-maria.

 

097

O entardecer

cerejeiras floridas

perfumadas.

 

098

Pássaros planam

em linhas desenhadas

bailado asas.

 

                                                 099                                                  

Sedução, amor

unidos corpos, alma

doce quimera.

 

100

Vaso mesinha

fragrâncias florada

serenidade.

 

 

101

Mergulhar águas

roupas molhadas corpo

nu espelho.

 

102

Horas diurnas

formam existência

decorre vida.

 

103

Borboleta gris

esvoaça florada

jardim celeste.

 

104

Lindo beija-flor

manhoso pousa rosa

aspira néctar.

 

105

Brisa dos ventos

viaja continente

percorre léguas.

 

106

Divertimento

algazarra ganhara

alegram lago.

 

107

 

Luminescência

pirilampos florestas

astuciosos.

 

108

Jasmins floridos

vasinho aparador

perfuma sala.

 

109

Ave pousada

alto galho árvore

coruja branca.

 

110

Noite serena

grilos ficam cantantes

cheiro matagal.

 

111

Apaixonados

bordam ais luxúria

deusa tríplice.

 

112

Asas beija-flor

são multicoloridas

cintilam luz sol.

 

113

É aquarela

andorinhas em bando

jardins floridos.

 

114

 

Noite borrasca

Neve gélida molha

Cabelos e rostos.

 

115

Lindo trinado

pintassilgo no jardim

canta para flor.

 

116

Borboletar

recebe um convite

dançar aragem.

 

                                       117                                         

Alecrim em flor

perfumando floresta

amanhecendo.

 

118

Perfuma jardim

jasmineiros floresceu

aroma amor.

 

119

Abelhas rosas

sugando doce néctar

grandes enxames.

 

120

Paineira rosa

sombreando veredas

frondosidade.

 

121

Fartura campo

escondidos na relva

grilos cantando.

 

122

Banquete jardim

folhas frescas viçosas

ágil formiga.

 

123

Gato faminto

Sabiá na gaiola

Lambe beiçolas.

 

124

 Lufadas brisa

Cobrem suavemente

asas colibri.

 

125

Ponte madeira

em direção riacho

menino corre. 

 

126

Maçã vermelha

bruxas, caldeirão, corvos

rituais clareira

 

127

Campos floridos

margaridas, cravinas

estação vida.

 

128

Impenetrável

infinito estrelado

fragrâncias flores.

 

129

Sinais mágicos

aragem beijoqueira

matizes noite

 

130

Penas de pássaros

show multicolorido

esvoaçam ar.

 

131

Ervas sagradas

mágicos curandeiros

misteriosos.

 

132

Lufada brisa

movimenta folhagens

harmoniosas.

 

133

Quieto olhar

lagartixa na pedra

prepara fuga.

 

134

Peixes na rede

pescador comemora

alimentação.

 

135

Pássaros cantam

causticante semana

labaredas sol.

 

136

Deserto quente

areias movimentam

soprar vendaval.

 

137

Besouro roda

enamorado flores

visita jardim.

 

138

Grande zumbido

enxame campeiras

rapidamente.

 

                         139                         

Horas despertam

carrilhão assustado

diabólico.

 

140

Céu primaveril

inseto coloridos

borboletear.

 

141

Bosque mágico

duendes e fadas

bruxa malvada.

 

142

Ovos pintados

Trazem felicidade

Jovens casados.

 

143

 Luzes floresta

máscara abóbora

espanta males.

 

144

Ponte de pedra

castelo encantado

bruxa benigna.

 

145

Lago dos cisnes

nadam sobre folhagens

tapete amor.

 

146

Maçã do amor

bruxa malvada

enfeitiçou.

 

147

Campos floridos

regados com mel

arte das bruxas.

 

148

Rituais tempo

mudanças, incertezas

ferve caldeirão.

 

149

Símbolos magia

círculo e caldeirão

deuses e deusas.

 

150

 

Penugem pato

nove punhados de sal

livra maldade.

 

 

 

151

Nascer aurora

brisa beija as asas

pássaros cantam.

 

152

Flor na lapela

gracioso cordial

cravo vermelho.

 

153

Notas murmuram

balada primavera

reinos natureza.

 

154

Borboleta red

sobrevoando campos

pousou gérbera.

 

155

 O movimento

ampulheta areia

registra tempo.

 

156

Saudações manhã

revoada pássaros

acrobacias.

 

157

Girassol jardim

azaleias, gérberas

raios solares.

 

158

Cravina, rosa

entrelaçados jardim

promessas amor.

 

159

Crianças rede

soneca vespertina

  tranquilidade.  

                 

160

Flores malmequer

sentimentos pétalas

bem-me-quer amor.

 

161

Haikais no verão

raios ensolarados

senhor astro rei.

 

162

Sol causticante

ilumina a terra

hemisfério Sul.

 

163

 Duplicidade

sentido na escala

sol Astro, Sol som.

 

164

Sol, calor, praia

meninada sarada

mostra biquíni.

 

165

Final dezembro

festejos anunciam

paz, harmonia.

 

166

Estrela Belém

sinal humanidade

nascia amor.

 

167

Três Reis Magos

guiados por estrelas

chegaram senhor.

 

168

Deitado palha

filho Maria, José

dormia Jesus.

 

169

Cristianismo

aniversário Jesus

comemorações.

 

170

 Sinos badalam

religiosidade

ofertam amor.

 

171

Árvore Natal

enfeite sentimentos

fé, paz, união.

 

172

Natal europeu

terra coberta neve

caindo infinito.

 

173

Folhas farfalham

galhos balançam pinhas

gramado soltas.

 

174

                                       Luz colorida                                     

suspensas arvoredos

paz arco-íris.

 

175

Festejos gala

anjos dedilham harpas

nostalgia som.

 

176

Ponteiros juntos

relógios universais

prenúncio ano.

 

177

Foguetes ano

renascem esperanças

brinde à você.

 

178

São doze meses

horas, segundos, ciclos

prosperidade.

 

179

 

Luar Minguante

tímido firmamento

espia terra.

 

180

Repicam sinos

saudações ano novo

bênçãos divinas.

 

181

Tarde de verão

caminhadas veredas

com pés descalços.

 

182

Imensas abas

protegem minha face

das queimaduras.

 

183

Chuva de verão

 morna, gostosa

Mergulho no mar.

 

184

Fogo que arde

bocas em labaredas

beijo sedução.

 

185

 Areias quentes

abrasam sola dos pés

correria mar.

 

186

Pintura tela

mar azul redor ilha

tarde mormaço.

 

187

Infelizmente

destrói a natureza

atos humanos.

 

188

 

Gafanhoto zia

Vegetação folhagens

com pernas longas.

 

189

Sinfonia ar

grilos em serenatas

inquietantes.

 

190

 No entardecer

algazarra dos pardais

voltam ninhadas. 

 

191

No crepúsculo

sol declara sedução

arquipélago.

 

192

Mormaço quente

voo rasante água

gaivotas grasnam.

 

193

Estação verão

onze horas floridas

horas diurnas. 

 

194

 Navegam no mar

embarcações Orixás

Iemanjá mar.

 

195

Fiéis orando

Odoiá Iemanjá

presente flores.

 

196

Velas acesas

nas areias beira-mar

promessas pagas.

 

197

No fundo do mar

Pérolas na areia

Salve sereia.

 

198

Canto, oração

aromas flores no ar

pétalas brancas.

 

199

Ondas jogaram

Conchinhas na areia

Presentes da Mãe.

 

200

 

Vestindo branco

Colares enfeitados

Médiuns oram.

 

 

201

Barcos navegam

Procissão marítima

Sra. Navegantes.

 

202

Tambores rufam

reverência Odoiá

saudação, rezas.

 

203

Praias lotadas

orla cidades Brasil

oferendas mar.

 

204

Hora natação

aceitem o convite

água riacho.

 

205

Crianças brincam

gargalhadas ecoam

saleta casa.

 

206

Voracidade paixão

atiçaram labaredas

despiram roupas.

 

207

Pares de asas

insetos  predadores

são libelinhas.

 

208

 

Aquarelando

andorinhas em bando

jardins floridos.

 

209

 

Cadenciados

pandeiro, reco-reco

cuíca, repiques.

 

210

Em fevereiro

carnaval, fantasias

samba enredo.

 

211

Carnaval Brasil

fevereiro chegando

som bateria.

 

212

Brinque sambando

não esqueça galera

preservativos.

 

213

Escolas, samba

carnavalescos bebuns

dormem esquina.

 

214

Baianas cantam

circulam avenida

saias rodadas.

 

215

Rei Momo abre

festejos sambódromo

chave, coroa.

 

216

Lindo trinado

pintassilgo no jardim

canta para flor.

 

217

Borboleta gris

recebe um convite

dançar com brisa.

 

218

Alecrim em flor

expelem os aromas 

no amanhecer.

 

219

 

Aroma jasmim

Fragrâncias sentimentos

florescem jardins.

 

220

Abelhas na flor

gulosas sugam néctar

grandes enxames.

 

221

Paineiras em flor

sombreando caminho

trilhas veredas.

 

222

Fartura campo

escondidos gramados

grilos cricrilam.

 

223

Banquete jardim

folhas frescas viçosas

ágil formiga.

 

224

Mansa Lagoa

um garboso flamingo

ave gregária.

 

225

Batem os bicos

cegonhas que encantam

matraqueando.

 

226

Crianças gritam

cão furioso late

mordida perna.

 

227

Peraltas fogem

escondem-se no sótão

preocupam avó.

 

228

Grama coberta

pétalas encarnadas

roseira velha.

 

229

Faz uma pose

borboleta vermelha

na fotografia.

 

230

  Olhe distante

não são pétalas ao vento

são asas voando.

 

231

 

Borboleta voou

beija suavemente

jardim florido.

 

232

 

As borboletas

buscam faceiras ganhar

beijo do cravo.

 

233

Borboletando

entre tenras tulipas

voo rasante.

 

234

Mil vagalumes

lembram luzes estrelas

intermitente.

 

235

Lá no cerrado

iluminam as matas

os pirilampos.

 

236

Fugiu o vento

Direção pradarias

Flash relâmpagos.

 

237

 

Sopros sussurram

Vento segue jornada

Semeia temor.

 

238

Folhas atapetam

pontes de travessia

colorindo chão.

 

239

Brisa matinal

marcador de romances

folhas ferrugem.

 

240

Ervas daninhas

amareladas tempos

cobrem cercado.

 

241

Missa pascoal

bênçãos aspergidas

humanidade.

 

242

Fartura a mesa

manjar pascoalino

pecado gula.

 

243

Delicioso

bacalhoada prato

cálices vinho.

 

244

Ovos alegram

embaixo arvoredo

escondidinhos.

 

245

Folhas douradas

cobrem terra úmida

ocultam ninhos.

 

246

Uma passagem

espiritual abre

encontro Deus

 

247

 

Gansos selvagens

grasnando em profusão

lago gelado.

 

248

 

Espanta pardal

boneco tabuleiro

devoradores.

 

249

Reino animal

satisfeita fartura

caqui vermelho.

 

250

                    

                            Suavidade                              

recende as fragrâncias

viçosos jardins.

 

251

Noite borrasca

esqueletos sinistros

luar minguante.

 

252

Previsão homem

inexorável sina

destino final.

 

253

Esvoaçantes

borboleta laranja

entre folhagens.

 

254

Moça sentada

triste acabrunhada

lago solidão.

 

255

Aves não cantam

humanidade dorme

claro escuro.

 

256

Vendaval folhas

frutas despencam do pé

apodrecem chão.

 

257

Pincelar tela

aquarela paleta

amarelada.

 

258

Adversidade

vendaval assovia

tempestade vem.

 

259

Sol na aurora

tímido espreguiça

raios solares.

 

260

Aquarelando

crepúsculo ocaso

suaves matizes.

 

261

 Consonância

sussurrar folhagens

notas escala.

 

262

Luzes que caem

estrelas cadentes

cortam o céu.

 

263

 

Luzes espaço

Vagam infinitude

Mil estrelários.

 

264

Vento soluça

vertem as lágrimas

da chuva miúda.

 

265

Folhas se movem

com o vento seco

que vem do Norte.

 

266

 

Entra janela

evapora-se brisa

vendaval forte.

 

267

Roupas caíram

no varal estendidas

lufada vento.

 

268

Folhas soltas

com o sopro do vento

em redemoinho.

 

269

Velas acesas

extingue os pavios

se vento passa.

 

270

 Direção ventos

Retrata continentes

Pontas ventoinhas.

 

271

Cuidado! Vento

levanta vestimenta

anatomia.

 

272

Folhas ferrugem

despencam arvoredo

tapete grama.

 

273

Cores outonais

enlace energias

circundam vidas.

 

274

Misteriosos

sonhos entrelaçados

brumas do tempo.

 

275

Tapete folhas

matizes coloridos

cobrem desejos.

 

276

Sorriso triste

emoção despedida

folhas flutuar.

 

277

Tempo abstrato

inércia trajetória

fragmentos vida.

 

278

Pêndulo tempo

pensamentos deriva

itinerário.

 

279

Orvalho noite

umedece folhagens

trilha floresta.

 

280

Brisa noturna

beija suavidade

boca sedenta.

 

281

Sinceridade

filosofia rara

corpo e alma.

 

282

Hoje presente

usarei as folhagens

lembranças queda.

 

283

Quero ser folha

redemoinho sensações

liberdade ar.

 

284

Aromas frutos

fragrâncias malmequeres

maturidade.

 

285

Fragrâncias florais

bagagem despedida

Zéfiro flora.

 

286

Gotejar laje

amanhecer neblina

tempo inverno.

 

287

Garoa fria

uau, escorregadias

molha pedestres.

 

288

Previsão tempo

sombrinhas, guarda-chuva

lágrimas cosmos.

 

289

Cor natureza

floresta salpicada

brancura neve.

                            

290

 Tempo inverno

nevoeiro abundante

cobre casarão.

 

291

 Arraial cheio

reza prenda solteira

casamenteiro

 

292 

Mil bandeirolas

calçolas remendadas

vestidos chita.

 

293

Panela ferro

pipoca estalando

cobrir melado.

 

294

 Danço quadrilha

como pipoca doce

rapadurinhas.

 

295

Chegam noivos

carroça enfeitada

soltando rojões.

 

296

Amendoim, pinhão

fogo assa batatas

Cocadas quindins.

 

297

Linhas na neve

imaginárias formas

   entrelaçadas. 

              

298

 Cobertura neve

árvores alamedas

pessoas andam.

 

299

Calçadas branca

impede caminhada

desliza neve.

 

300

Silencioso

tristemente fenece

eternidade.

 

 

 

301

Dupla ponteiros

aprisionam ciclos

constante tic-tac.

 

302

Chocolatada

merengue espumante

cobertor quente.

 

303

Crianças vestem

mantas lã colorida

praça gelada.

 

304

Visita tufão

mudanças climáticas

revolve águas.

  

305

Felicidade

acelera a vida

deixa saudades.

 

306

Um andarilho

perambular destino

caminha neve.

 

307

 

Raios lunares

Reverbera as águas

Rios, lago, mar.

 

308

Medo e pavor

interdita essência

obstaculiza.

 

309

Porto seguro

ancorados beira cais

nós amarrados.

 

310

Folhas perdidas

formigueiro agita

escondidinhas.

 

311

Fogão a lenha

crepita labaredas

vento gelado.

 

312

Tarde invernal

friagem congelante

inesperado.

 

313

Tapete pedra

umedecida neve

ruas cidade.

 

314

Acinzentados

ermitão solitário

noites inverno.

 

315

Palidez solar

transeuntes circulam

enterram botas

 

316

Inverno frio

cobre gramas, calçadas,

cobre-se branco

 

317

Manta nevoeiro

pincela firmamento

alma tristonha

 

318

Vento soprou

castelos arenosos

sonho acabou

 

319

Ventarolas mar

embarcação deriva

retorna porto

 

320

Lua desponta

espelha poças água

vestindo prata

 

321

Mergulhar lago

água limpa gelada

banho ganhara

 

322

Gotas de chuva

borrifam leves penas

aves noturnas

 

323

Brumas noturnas

solidão acompanha

inerte vaga.

 

324

Assustadora

ventania circula

traz trovoada.

 

325

Precipitação

separam arvoredos

folhagens choram.

 

326

Forte tormenta

bichano arregala

olhos brilhantes.

 

327

Ruas molhadas

escorregam calçados

grande bailado.

 

328

Desordenados

adentram casario

patos molhados.

 

329

Poças calçadas

reflete firmamento

nuance prata.

 

330

Orangotango

silenciosamente

escuta chuva.

 

331

Aves ousadas

invasão caturritas

discutem trovão.

 

332

Arriscam voo

beija-flores molhados

nas madressilvas.

 

333

Chuva miúda

umedece janela

embaça vidros.

 

334

Orquestra rege

sinfonia vendaval

baile invernal.

 

335

Chuva amena

goteira telhado

sapo coaxa.

 

336

Estação vida

primavera renasce

pássaros cantam.

 

337

É primavera

estação esperança

renascem flores.

 

338

 

Flores gramado

são multicoloridas

perfumam vida.

 

339

 

Pássaros buscam

água doces regato

banho gelado.

 

340

Caracol jardim

busca ramagem verde

quer alimento.

 

341

Cravo e rosa

Entrelaçados jardim

carícias amor.

 

342

Brisa no jardim

fragrância inebria

jasmineiro rei.

 

343

 

Cheiro de mato

vegetação silvestre

fragrâncias brisa.

 

344

 

Zoam abelhas

florada laranjeira

favo melado.

 

345

Flores acácias

caminhos e atalhos

enfeitam gramas.

 

346

Hibiscos rosa

embelezam calçadas

enfeitam praças.

 

347

Crianças rede

soneca vespertina

tranquilidade.

 

348

Sombra árvores

a aragem balança

rede descanso.

 

349

Andarilhando

conta historietas

homem vielas.

 

350

Sonata luar

coaxar sapos lago

estrilar grilos.

 

 

 

351

Deitado grama

 Repousa vaga-lume

Apaga chama.

 

352

Nuvens mosquito

notívago nos ouvidos

noites insônia.

 

353

 

Na natureza

Dia, noite, fragrâncias

Canta bem-te-vi.

 

354

Chove lá fora

com as asas molhadas

buscam abrigo.

 

355

 

Aranhas pretas

morangas sorridentes

nos orifícios.

 

356

Noite trevosa

bruxa voo rasante

vassoura palha.

 

357

Quem bate porta?

são crianças travessas

gulosas doces.

 

358

Risos crianças

percorrendo calçadas

tropeçam balas.

 

359

Reflexo prata

ilumina festejos

É halloween.

 

 

360

Urubus negros

morcegos batem asas

bruxa malvada

 

361

Caldeirão ferve

encarquilhada mexe

encantamento.

 

362

Rouxinol galho

plenitude chilreia

no alvorecer.

 

 

363

Jovens damas

bailarinas no palco

Imitam cisnes.

 

364

Água gelada

penas arrepiadas

cisne ferido.

 

365

Desengonçado

cisne pescoço preto

bico vermelho.

 

366

Fada navega

águas doces do lago

nas asas cisne.

 

367

 

Pardal sozinho

triste canto distante

 fugiu ninho.

 

368

Gato miando

peitoril da janela

dono chamando

 

369

Dias nublados

tisnado de sombrio

o sol cochila.

 

370

Lago sem ondas

Muitos cisnes nadando

Com alvas penas.

 

371

 

Raios solares

brilha água do lago

mergulham cisnes.

 

372

Fauna de cisnes

um balé aquático

sobre as águas.

 

373

 

Mansidão águas

riachos, lagos, fontes

sons relaxantes. 

 

374

Insolação Sol

jovem descuidada

horas areia.

 

375

Cuidado gente

avistaram tubarão

dentada perna.

 

376

Menino Jesus

repousa manjedoura

coberto bênçãos.

 

377

 

Evento cristão

global humanidade

dia de natal.

 

378

 

Noite de sonhos

crianças rasgam laços

presentes Noel.

 

379

Iluminação

casarios cidade

intermitentes.

 

380

Galhos balançam

enfeitados por luzes

brilhos, matizes.

 

381

Europa neve

renas aparelhadas

trenó velhinho.

 

382

Oh! fogueteio

clareiam infinito

então é natal.

 

383

Mistura crenças

cristãos não cristãos

comemoram Noel.

 

384

Guirlandas Natal

alegres comemoram

presentes, cartões.

 

385

Diversas crenças

homenagens inverno

mitologia.

 

386

Não consumismo

presentes carinhosos

abraços, beijos.

 

387

Suaves beijos

abraço apertado

me faça feliz.

 

388

Seres amados

desejo feliz natal

bênçãos de amor.

 

389

Sinos badalam

foguetes iluminam

luzes emoções

 

390

Grafe decretos

Realize desejos

Energias 2018.

 

391

Lufadas brisa

depositam mil beijos

asas colibri.

 

392

 

Relâmpago céu

bramido firmamento

brontofobia.

 

393

Quieto olhar

lagartixa na pedra

prepara fuga.

 

394

Peixes na rede

pescador comemora

saboreando.

 

395

Pássaros cantam

matinal calorento

ensolarado.

 

396

Deserto quente

dunas se movimentam

soprar do vento.

 

397

Besouro zune

enamorado flores

visita jardim.

 

398

Grande zumbido

abelhas sugam néctar

doces laranjas.

 

399

Relógio sala

enfeita decoração

carrilhão brim blog.

 

400

Bando crianças

desordem na varanda

sinto cansaço.

 

 

 401

Menina pulou

Muro pomar sitio

Roubou laranjas.

 

402

Jovens surpresos

espetáculo luzes

estrelas piscam.

 

403

Sorvete melão

alegrou meninada

sorveteria.

 

404

A bailarina

ficou envergonhada

apresentação.

 

405

Zumbido moscas

incomoda criança

dorminhocando.

 

406

 

Canta cigarra

varanda bromélias red

borboletinhas.

 

407

Perdizes no ar

caçadores observam

ave camufla.

 

408

Bosques floridos

tons multicoloridos

enfeitam terra.

 

409

Festa floresta

gramíneas enfeitando

festival cores.

 

410

Flores lavabo

coloridas orquídeas

desabrochando.

 

411

Tambores rufam

hierarquia santos

filhos fé dançam.

 

412

Velas, champanhe

barquinhos oferendas

protetora mar.

 

413

Mãe Iemanjá

reza silenciosa

misericórdia.

 

414

Fiéis unidos

saudando, Iemanjá

ofertam rosas.

 

415

Flores brancas mar

canjica, cocada, mel

mamãe Odoiá.

 

416

Corpo pescador

tatuado sereia

Poseidon mares.

 

417

Lágrimas adeus

espumas na areia

chora sereia.

 

418

Canto sereia

encanta pescadores

arrasta fundo.

 

419

Procissão cristã

barquinhos, bandeirolas

santa igreja.

 

420

Altar terreiro

Iemanjá Umbanda

sino tilinta.

 

421

Mansidão águas

Vitória-régia lago

brisa balança.

 

422

Imaculada

desliza sobre águas

lótus balança.

 

423

Festa dos astros

planetas, satélites

cantam cirandas.

 

424

Estrelas brilham

brincadeira esconder

mergulham nuvem.

 

425

Cigarra canta

pousa copa arbustos

som estridente.

 

426

Na madrugada

acorda vizinhança

cantar do galo.

 

427

Assustadores

celeste negritude

olhos felinos.

 

428

Ensolarado

acorda amanhecer

pássaro tenor.

 

429

O canarinho

preso gaiola ouro

gorjear triste.

 

430

 

Ave rapina

sobrevoa florestas

rápido, baixo.

 

431

Flash sambódromo

luz multicolorida

noite mágica

 

432

Exuberância

fauna, flora, tecidos

show fantasias.

 

433

Comissão frente

bandeiras esvoaçam

mãos mestres sala.

 

434

Festa Salgueiro

Orixá justiceiro

machado nas mãos.

 

435

Orixá Oyá!

Portela homenagm

Clara, sabiá.

 

436

Oi Mangueirense

memória Marielle

não preconceito.

 

437

Voa beija-flor

patrimônio senzalas

quilombo tem rei.

 

438

É Mocidade

inexorável Cronos

é transitório.

 

439

Encantamentos

Viradouro magia

feitiço olhar.

 

440

Colonização

criou cidade Pedro

Vila Isabel.

 

441

Final tormenta

aroma exalando

lembrança vida.

 

442

Cheiro cozinha

ameixa com laranja

pato assado.

 

443

Esplendor no céu

 crescente prateada

cobre florestas.

 

444

Adeus, partida

haverá próxima vez

jorram lágrimas

 

445

Sol escaldante

visão hipotética

calor deserto.

 

446

Imaginação

estendo um abraço

beijo solidão.

 

447

Eterna busca

na temporalidade

do infinito.

 

448

Renasço plena

existência ditosa

sem tua presença.

 

449

Estrelas soltas

cadentes sem destino

iluminam EUS.

 

450

Chorei mortes

sentimentos intensos

renascimento.

 

 

 

451

Papel, rabiscos

pena escreve versos

jorram palavras.

 

452

Flores lilases

pássaros esvoaçam

ruídos alados

 

453

Folhas outono

embaixo das árvores

dançam na brisa.

 

454

Árvore mata

folhas secas ferrugem

despencam galhos.

 

455

Ciclo renasce

traz alimento terra

folhas caídas.

 

456

Galhos balançam

em ramas verdes

bem-te-vi canta.

 

457

Campos floridos

árvores coloridas

bosque dos sonhos.

 

458

Infinitude

estrelas que cintilam

enluarada.

 

459

 

Brilho rasga céu

são alienígenas

ou estrelários?

 

460

Brisa, vendaval

dançam entrelaçados

redemoinho.

 

461

Miado gato

incomoda vizinha

noite infernal.

 

462

Raidiação solar

entre ramos árvores

iluminação.

 

463

Folhas esvoaçam

silenciosamente

entre veredas.

 

464

Mudança nuances

matinal, vespertino

tela infinito.

 

465

Pétalas rosas

esvoaçam na brisa

elegantemente.

 

466

Gotículas pratas

enfeitam folhagens

orvalho queda.

 

467

Densa neblina

sombras assustadoras

silente noite.

 

468

Manhã gélida

acordo preguiçosa

aroma café.

 

469

Clareira mata

luar banha árvores

gotas orvalho.

 

470

Nuvens correndo

pega-pega estrelas

esconderijos.

 

471

Em algum lugar

habitam muitos Anjos

eternidade.

 

472

Fadas, duendes

Fantasias míticas

mundo magia.

 

473

Estrelas brilham

longínquo firmamento

obra divina.

 

474

Medidor do Tempo

torre torta na matriz

horas erradas.

 

475

Canção de amor

embala os amantes

doce enlevo.

 

476

Na gruta pinga

a gota cristalina

livre e leve.

 

477

Sino do Templo

toca suavemente

Ave-Maria.

 

478

Rede balança

dama triste escreve

carta de amor.

 

479

 

Céu lua nova

reflete água lago

sapo coaxa.

 

480

 

Crianças correm

brincam parque diversão

Catavento mão.

 

481

Semana Santa

procissões, flagelação

malhar o judas.

 

482

Domingo Ramos

Jesus em Jerusalém

fé, liturgia.

 

483

Catolicismo

inúmeras tradições

benzer comida.

 

484

Cristianismo

ressureição divina

história Jesus.

 

485

Hereditário

ilusão permanece

só consumismo.

 

486

Originou-se

ovinhos, coelhinhos

clã conservador.

 

487

Renascimento

adoce sentimentos

devoção, amor.

 

488

Oferte vinho

reparta alimentos

necessitados.

 

489

Alegre festa

família, amigos

doe carinho.

 

490

Evento páscoa

ritual aleluia

nas irmandades.

 

491

Uma orquestra

com sabiá maestro

canário cantor.

 

492

Revoluteiam

só mariposas brancas

entre folhagem.

 

493

 

Frescor do vento

traz aroma chuvisco

perfume jasmim.

 

494

O crepúsculo

solitário, sinistro

um sol-poente.

 

495

 

Leitura cartas

destino sorte, sina

determinado.

 

496

Óbito chega

sem prévio aviso

indiferente.

 

497

Chuva de plumas

forram ninhos árvores

das andorinhas.

.

498

 

Lua minguante

patos selvagens grasnam

mansidão lago.

 

449

Silencioso

gato preto espreita

desfile ratos.

 

500

 

Felicidade

acelera a vida

deixa saudades.

 

501

Noite escura

pisca-pisca florestas

mil lanterninhas.

 

502

Acendem luzes

insetos eróticos

procuram sexo.

 

503

 

Ninhos perfeitos

Folhas, flores e musgos

Nascem bichinhos.

 

504

Estrelas no céu

vagalumes na terra

iluminando.

 

505

Na quietude

luzes são apagadas

insetos dormem.

 

506

São pequeninos

respirando por guelras

cabeça prego.

 

507

 

Pomba-galinha

Pronta para o corte

É saborosa.

 

508

Sapos coaxam

tímpano é externo

escutam vozes.

 

509

Sapos hibernam

aproveitam inverno

tiram cochilo.

 

510

Sapo gorducho

agilidade pedra

caça insetos.

 

511

Natureza dorme

olhares horizonte

existência.

 

512

Sol tempestade

flash gélidas lembranças

noites vigília.

 

513

Raízes, homem

seiva sentimentos

florescer alma.

 

514

Alma congela

óbito inspiração

assustadora.

 

515

Sol sorridente

entre as nuvens chuva

são arco-íris.

 

516

Um sapo gordo

mergulhado no charco

caça que caça.

 

517

São multicores

florada em fragrâncias

clareira mata.

 

518

Chuva serena.

desabrocham sementes

símbolo vida.

 

519

Altar florestas

devoção divindades

fragrâncias florais.

 

520

Suave brisa

aromatiza jardim

dama-da-noite.

 

521

As amapolas

dançam suaves campos

grama enfeitou.

 

522

Brisa aurora

acaricia asas

pássaros cantam.

 

523

Colorida flor

germinou alvorada

céu azulado.

 

524

Nitidez alva

cerejeiras floridas

perfumam amor

 

525

Apenas sonhos

a límpida nascente

aromas flores.

 

526

Festa juninas

arrasta pé, folgança

danças caipiras.

 

527

Sanfona toca

redonda ilumina

gastronomia.

 

528

Fogueiras santos

São João, Antonio

Pedro encerra.

 

529

Origens festas

crença cristianismo

idolatria.

 

530

Balões, foguetes

fogos artificiais

enfeitam festa.

 

531

Colonização

festas tradicionais

multiculturais.

 

532

Dança quadrilha

bandeiras coloridas

trajes típicos.

 

533

Traques, bombinhas,

estalinhos e balões

lacinhos chapéu.

 

534

Só comilança

paçoca, pé moleque

pamonha, angu.

 

535

Só senso comum

imaginário povo

mil simpatias.

 

536

Vestindo branco

solstício invernada

rei natureza.

 

537

Silenciosa

chuvarada encharca

seres andantes.

 

538

Chuva inverno

pinga telhado zinco

muito barulho.

 

539

Árvore nudez

passarada molhada

emudecidos.

 

540

 

A invernada

Surpreendeu mansinho

Pés congelados.

 

541

Ventania Sul

destroça arvoredo

cai rodovia.

 

542

Palidez dia

natureza gélida

descolorida.

 

543

Inverno frio

neve cobre calçadas

tapete branco.

 

544

 

Céu lutuoso

furacão acarreta,

vidas ceifadas.

 

545

 

Aviso sirene

tsunami se forma

no oceano.

 

546

Um maremoto

região marítima

arrasa vidas.

 

547

Relampeando

nevascas nas montanhas

Ventos intensos.

 

548

Frio cortante

ventania sulina

coberta pena.

 

549

 

Rios transbordam

sensações e emoções

pranto lágrimas 

 

550

Ciclo inverno

chuvas, alagamentos

mortes humanas.

 

551

Sonhos inverno

pesadelos velhice

inverno alma.

 

552

 

A natureza

silenciosamente

neve soterra

 

553

 

Rememoração

lembranças, desenganos

mentiras vida.

 

554

Ramos desnudos

Arvoredos curvados

Caem sozinhos.

 

555

Céu nuvens cinzas

efêmeras, constantes

cobrem caminhos.

 

556

Sombra invade

torturam pensamentos

em desalinho.

 

557

Propagação som

relógio prata sala

carrilhões horas.

 

558

 

Flores tingidas

enxada cava terra

transparece dor.

.

559

Olhos tristonhos

plantações arrasadas

apreensivos.

 

560

Expectador

espantalhos lavouras

assustadores.

 

561

Alerta porta

cachorrinho amigo

sacode rabo.

 

562

Nuvens pintadas

suspensas firmamentos

raios solares.

 

563

Pedras branquinhas

inúmeros granizos

cobrem calçadas.

 

564

Felina cio

percorre telhas. muros

ama miando.

 

565

Penhasco longe

chicoteado vagas

sonoridade.

 

566

 

Ornamentação

altares igrejinha

chuva de prata.

 

567

Bela mordida

pernilongos atacam

coceira perna.

 

568

Jardins castelo

crisântemos vermelhos

brisa balança.

 

569

Corpo oscila

pés afundam nevasca

urso ártico.

 

570

Noite inverno

labaredas dançando

incandescentes.

 

571

Hibernar cama

enrolada cobertas

pensar quimeras.

 

572

Chá camomila

Brioches recheados

pecado gula.

 

573

Vento, granizos

gotículas janela

cristalizadas.

 

574

Taças champanhe

labaredas crepitam

enamorados.

 

575

Orvalho noite

umedece folhagens

trilha floresta.

 

576

 

Céu nevoento

crepúsculo tristonho

lamento vento.

 

577

Corpo congela

andarilhos calçados

desesperados.

 

578

Entorpecido

vestes esfarrapadas

friagem corpo.

 

579

Bagagem feita

viagem outras terras

adeus inverno.

 

580

Tênue visão

renascer para vida

terra germina.

 

581

Saúvas cortam

carregam pedacinhos

seu alimento.

 

582

Melodia rãs

harmoniosamente

capinzal quintal.

 

583

Clarão florestas

folhas caídas mortas

ninho minhocas.

 

584

Canto Silvestre

envolve a floresta

suspiro flauta.

 

585

Ninhos perfeitos

folhas, floradas, musgos

nascem bichinhos.

 

586

As saracuras

terra alagamentos

comem minhocas.

 

587

Grilos cantantes

alegram bicharada

lua crescente.

 

588

Elementais Ar

dançam clareira mata

sopram aragem.

 

589

Sol primaveril

abraça natureza

vitalidade.

 

590

Gramado verde

arvoredo frondoso

show convescote.

.

591

Larva transição

Infância, adulto

Lavadeira.

 

592

Entremeada

floradas coloridas

mil borboletas.

 

593

 

Chora pássaro

triste ave cativa

chave dourada

 

594

 

Nuvens correndo

Pega- pega estrelas

Esconderijos.

 

595

Tarde chuvisco

sapos coaxam lago

lágrimas água.

 

596

Poças lamaçal

menina leva bronca

sujou sandália.

 

597

Até mais chuva

espiada varanda

cheia vermelha.

 

598

Desdlizamento

cobre casas, riachos

chuva desdita.

 

599

Deserto quente

areias movimentam

sopra vendaval.

 

600

Aguaceiro

transbordaram represas

fauna, flora, anima.

 

601

Chuvinha fina

molha folhagens secas

mitiga sede.

 

602

Noite fechada

enfeitada de raios

sons trovoadas.

 

603

 

Árvores tortas

borrasca folhagens chão

esparramadas.

 

604

Temível tempo

espreita consciência

ideias oscilam.

 

605

Velas acesas

pensamento oração

vento apagou.

 

606

Caminho verdes

pradarias, florestas

esperançosa.

 

607

Ontem passado

hoje só instantes

futuro sorte?

 

608

Reunião magos

receitas pergaminhos

pena coruja

 

609

Galhos trigueiro

divindades panteão

sorte, sucesso

 

610

Valeriana

carvalho, aveleira

bastão mágico.

 

611

Penas urubu

encantamento velas

gatos malhados.

 

612

Talismã poder

protege mau olhado

anel estanho.

 

613

Chave Salomão

feitiços poderosos

rituais, práticas.

 

614

Alta magia

elementais quadrantes

misteriosos.

 

615

Feitiços amor

corações namorados

nomes, mel, maçã.

 

616

Ferve caldeirão

Bruxas são poderosas

poção mágica.

 

617

Unhas-de-gato

atame, lua cheia

pentagrama ar.

 

618

 

São formiguinhas

chamadas cortadeiras

carregam folhas.

 

619

 

Sapos namoram

mergulham no riacho

escondidinhos.

 

620

Sapo arco-íris

venerado como Deus

 origem Índia

 

621

Sapo palhaço

Espécies são listadas

vive Panamá.

 

622

Menor sapinho

morador nas alturas

montanhas Andes.

 

623

A rã Golias

África ocidental

mas não coaxa.

 

624

Rã venenosa

Azul Safira mora

América Sul.

.

625

Balé perfeito

pétalas cor-de-rosa

no palco tempo.

 

626

Chegou à tarde

chuvarada amaina

vou postar Haikais.

 

627

Rua escura

calçamento úmido

ruídos passos.

 

628

Chuva encharca

abençoa lavoura

enferruja pá.

 

629

Tormenta noite

portalada interna

sete cruzes sal.

 

630

Chameira voa

recebe um convite

dançar aragem

 

                                        631                                         

Perfuma jardim

jasmineiros floriu

aroma sutil. 

 

632

Abelhas rosas

sugam néctar florada

grandes enxames.

 

633

Pombinha rola

gostam viver cerrados

meio urbano.

 

634

Banquete jardim

folhas frescas viçosas

ágil formiga

 

635

 

Gato do mato

Américas Central e Sul

Originário.

 

636

 

Aracnídeos

Bichos venenosos

Picada mortal.

 

637

 

Abibe-do-sul

grito do desconfiado

vôos rasantes.

 

638

Peixes na rede

pescador comemora

alimentação.

 

639

Pássaros cantam

causticante semana

labaredas sol.

 

640

 

Fonte energia

arvoredos floresta

resplandecente.

 

641

 

Igreja Católica

solenidade cristã

celebra Jesus.

 

642

Praça lotada

criançada alegre

parabéns Jesus

 

643

Show presépio

homens ajoelhados

Jesus deitado.

 

644

Dobram os sinos

igreja missa galo

receber bênçãos.

 

645

Festejo feliz

ceia, beijos, sorrisos

familiares.

 

646

Noel Gorducho

trenó, sacos, presentes

roupa vermelha.

 

647

Três Reis Magos

percorreram distâncias

presentes Jesus.

 

648

 

Querubins cantam

acordes sinfonia

só bons augúrios.

 

649

Passagem ano

Fogos, foguetes, urra

Promessas novas.

 

650

Só euforia

galera, espumantes

brinde renascer.

 

651

Dupla ponteiros

aprisionam ciclos

constante tic-tac.

 

652

Medo e pavor

interdita essência

obstaculiza.

 

653

 

Finaliza ano

guardados na bagagem

desesperança. 

 

654

12 badaladas

novo ano promessas

mil foguetórios.

 

655

Esperanças paz

alegrias, saúde

renascimento.

 

656

Haicais escritos

raios ensolarados

homenageiam.

 

657

Sol causticante

ilumina a terra

hemisfério.

 

658

 

Fevereiro sol,

temperatura alta

estonteante.

 

659

É veranico

caminhadas veredas

aspiro lilás.

 

660

 

Boné proteção

Toalha, bronzeador

Areia, mar.

 

661

 

Ar maresia

sentada areia mar

respingos ondas.

 

662

Longas migrações

gorjeio andorinhas

entoam natureza.

 

663

 

Céu azulado

gaivotas em desfile

areia praia

 

664

O crepúsculo

enfeita firmamento

diversicolor.

 

665

Sinfonia ondas

escala melodias

sereia mar.

 

666

Flutuam rosas

espumas maresias

sereias cantam.

 

667

Homens navegam

águas profundezas mar

mãe Iemanjá.

 

668

Mãe Iemanjá

protetora tesouros

ostras fundo mar.

 

669

Velas acesas

oração rainha mar

ajoelhados.

 

670

Pobres palhaços

confetes, serpentinas

dançam sozinhos.

 

671

Susto ruelas

marginal mascarado

senhas cuidadas.

 

672

Mil serpentinas

lança perfume salão

jogam confetes.

 

673

Lágrimas olhos

Lenços acenam adeus

Quarta folia.

 

 674

Morte abismal

derradeiro suspiro

muito profundo.

 

675

 

Até próximo ano

final festividades

alegres foliões.

 

676

 

Onça pintada

Pátria Américas

gosta de nadar. 

 

677

Delicadeza

beijokas florescência

red butterflies.

 

678

Suavidade

são hummingbirds pousados

pétalas rosas.

 

679

Balé colibris

nas coloridas flores

doces beijinhos.

 

680

Olhe ao longe

São pétalas ao vento

asas voadoras.

 

681

O estridular

noites enluaradas

ensurdecedor.

 

682

Ipês enfeitam

Casas velhas calçadas

Alegram visão.

 

683

inverno triste

folhas verdes despencam

cobrem lamaçal.

 

684

Tempo friagem

invernada nevada

acinzentado.

 

685

Nevasca molha

crianças brincam

tarde invernal.

 

686

Escadas templo

sussurros violinos

Anjos orando.

 

687

Solto amarras

navego mar aberto

porto solidão.

 

688

Pele molhada

chuvisco umedece

pés encharcados.

 

689

Estação frio

bagagem arrumada

boneco branco.

 

690

Tonalidade verdes

natureza florida

ar primaveril.

 

691

Visualizo

floradas verdejantes

pássaros trinam.

 

692

Asas colibris

são multicoloridas

esvoaçam jardins.

 

693

Longínquas terras

fantasias, quimeras

cárcere alma.

 

694

Pétalas rosas

desabrocham esguias

balé fragrâncias.

 

695

Colibris beijam

tulipas primaveris

prosperidade.

 

696

Borboleta gris

balé entre florada

esplendorosa.

 

697

Colher singelas

margaridas mimosas

jardins éden.

 

698

Florinhas belas

mimosas violetas

floricultura.

 

699

Mansidão águas

emerge do subsolo

mitiga sede.

 

700

Badala sino

profetiza escuro

brumas, fantasmas.

 

 

701

Paisagem Brasil

miserabilidade

corrupção, Covid.

 

702

Acorda Brasil

projeto extermínio

etnias, raças.

 

703

Gente sem casa

emprego, educação

povo inculto.

 

704

Crianças mortas

drogas, politicagem

só privilégios.

 

705

Festa de rico

rola sexo, diversão

pobre, água, pão.

 

707

Tantos corruptos

iguarias, champanhe

 cidadão paga.

 

708

Proletários

salário minguado

latas vazias.

 

709

 

Catam resíduos

Miserabilidade

lixeiras ruas.

 

710

Justiça cega

lentidão processual

impunidade.

 

711

Pacientes UTI

falta oxigenação

perecimento.

 

712

Leis obsoletas

interesse sistema

impunidade.

 

713

Bandidos soltos

cidadãos cerceados

nas residências.

 

714

Odor fétido

denúncias, notícias

cheiro corrupção.

 

715

Classe unida

Invencível, esperta

civil, militar.

 

716

Contas polpudas

moedas estrangeiras

nem minha nem sua

 

717

Verbo alerta

população desperta

manifestações

 

718

Marcha sem terra

Sem teto, nem salário

ingovernável

 

719

Lei do mínimo

cidadão esmoleiro

votos pobreza.

 

720

Dever é votar

analise consciente

biografias.

 

721

Brasil lidera

notas, malas, ceroulas

mais orifícios

 

722

Branca de neve

anões ladrões gestação

proliferando

 

723

Quatro quadrantes

perniciosidades

ditatoriais

 

 

724

Politicagem

indicador bandeiras

ocupar cargos

 

 

725

Politicalha

Câmara & Senado

nos benefícios.

 

726

Como herança

para nossa família

país ruínas.

 

727

Sem liberdade

regime democrático

é anárquico

 

728

Insanidade

Bolsomínios aplaudem

 Presidencial

 

729

Feirão oferta

partidos políticos

cargos urgentes.

 

730

 Gatos e ratos

partidos políticos

Impeachment.

 

731

Vento sulino

Assusta, medo frio

noite inverno.

 

732

As letras formam

palavras, emoções

afinidade.

 

733

Momento fugaz

presente plenitude

realizações

 

734

Fonemas juntos

é poeticamente

envolvimento.

 

735

Apenas ponteiros

aprisionam ciclos

constante tic-tac.

 

736

Os sentimentos de

lembranças e saudades

tristes lágrimas.

 

737

Andarilho só

perambular na sina

eternamente.

 

738

Céu lua prata

Ilumina riachos

salgadas do mar.

 

739

Barco veleja

águas maresia

ensolarado.

 

740

Silencioso

Tristemente fenece

eco se perde.

 

 741

Desperta dia

manhã densa gelada

neve janela.

 

742

Espaço azul

imensidão profunda

estrelário.

 

743

Conhecimento

sapiência, cultura

utilidade.

 

744

Fantasmas descem

Ladeiras campo santo

Assustam homens.

 

745

Insights mente

Ilumina lembranças

Tempestuosas.

 

746

Humanos mortais

aguardam temerosos

eternidade.

 

747

Alameda verde

terra poças d’água

refresca tempo.

 

748

 Raios solares

acariciam folhas

bosque florido.

 

749

Adolescente

paquera caminhantes

só namoricar.

 

750

Moça sentada

triste acabrunhada

lago solidão

 

751

As mariposas

borboletas noturnas

chamada bruxas.

 

752

Mil vaga-lumes

Lembram luzes estrelas

Intermitentes.

 

753

 Fogaréu mata

assusta animais

em disparada.

 

754

É luz natural

Dano a reprodução

Hoje extinção.

 

755

Saudade doida

Lágrimas disfarçadas

Menina jovem.

 

756

Solidão bateu

brisa sopra janelas

lágrimas face.

 

757

Amor e paixão

unidos viajaram

terra do nunca.

 

758

Flores girassol

ornamentam caminhos

matiz dourado.

 

759

Jardim sem flores

sentimento desamor

desesperança

 

760

Findou meu ciclo

armazeno bagagens

fragrâncias sutis

 

761

Sonhos veranico

sensualidade ar

finda estação

 

762

Ar sufocante

temperatura sobe

bronzeia corpo

 

763

Despovoado

rota Sol escaldante

camelos morrem.

 

764

Chuvas veranico

sobem águas riachos

arrastam lixos.

 

765

Praias sulinas

perigo águas-vivas

pele queimada.

 

766

Imensurável

beleza infinito

manto estrelas.

 

767

Sol generoso

horário esticado

horas arrastam.

 

768

Enxurradas

derrubam casarios

recicle lixo.

 

769

Um clik mágico

floradas desabrocha

esplendorosas.

 

770

Sineiro toca

chamado crentes missa

receber bênção.

 

771

Botões roseiras

descerraram pétalas 

colhi espetei.

 

772

Vaso mesinha

fragrâncias florada

serenidade.

 

773

Marulhar ondas

profundos oceanos

moram sereias

 

774

Rodam carroças

caravanas ciganas

estradas vida.

 

775

Paz interior

conduz felicidade

serenidade.

 

776

Vida silvestre

pica-pau-do-campo

ou picochanchã.

 

777

Jogo criançada

bem–me-quer ou mal-me-quer

sentada relva.

 

                                       778                                         

Macacos galhos

Saboreiam as frutas

Gostam bananas.

 

779

Pescoço longo

esguio, elegante

um cisne branco

 

780

Chuva granizo

são pedrinhas geladas

enfeitam rua.

 

781

Ilha encanta

mata verde fechada

orquidários.

 

782

Varanda fresca

samambaias rendadas

Brisa balança.

 

783

Tarde é quente

chuvisco forma poças

refresca terra.

 

784

Morro das Pedras

religiosidade

praia Campeche.

 

785

Aromas noite

terra, flores silvestres

inundam mata.

 

786

Cardume peixes

Tainhas saltitam ondas

Praia Grande.

 

787

Tudo quieto

 orquestra de cigarras

só sinfonia

 

788

Colorida flor

germinou alvorada

céu azulado

 

789

 

Circo lotado

bicharada circense

alegra povo.

 

790

Em silêncio

Rãs e sapos saltitam

Mergulham água.

 

791

Voos calandras

vegetação florestas

frutificação.

 

792

Morcego galhos

pendurada espreita

figos maduros.

 

793

Iguanas verdes

hora lanche amoras

espicha língua.

 

794

Jantar divino

pêssegos, abóboras

um peixe? Pacu

 

795

Bando primatas

atacar bananeiras

Guincham alegres

 

796

Bosques pequenos

arvoredo, arbustos

esquilos, nozes

 

797

 

América Sul

floresta temperada

solos são férteis.

 

798

 

Na Amazônia

mata de terra firme

equatorial.

 

799

Roupa singela

cajado pés descalços

folhas outono

 

800

Paleta cores

crepúsculo outono

matizes, nuances

 

 

801

Espaço brumas

imensidão profunda

luar cinzento.

 

802

Misterioso

tempo, vento, segredo

profundezas mar.

 

803

Ar, ventania

cresce vaga escura

ondas explodem.

 

804

Céu nevoento

crepúsculo tristonho

lamento vento.

 

805

Voam pétalas

bosques, veredas, matas

ventos quadrantes.

 

806

Entrelaçares

melodia audição

ventania sul.

 

807

Corujas galhos

estremecem penugens

gotas orvalho.

 

808

Tempo invernal

opacidade visão

janelas casa.

 

809

Sons distantes

chuva, badalar sino

intempéries.

 

810

galhos vestidos

nevasca adormece

vida fenece.

 

811

Solidão viaja

escuridão noturna

bengala tempo.

 

812

Viagem tempo

passageiro inverno

capote branco.

 

813

 

Incenso queima

diferentes aromas

são harmônicos.

 

814

 

A pomba branca

Simboliza paz, amor

Fé universal.

 

815

Aroma flores

natureza festeja

prosperidade.

 

816

Sublimidade

presenteie antúrio

forma coração

 

817

Dente de Leão

vivências da infância

familiares.

 

818

Aroma cravo

reflexão sentimentos

proteção deuses.

 

819

Vaso estreito

oratório saleta

tulipa branca.

 

820

Espiritual

ave do paraíso

recolhimento.

 

821

Jardim suspenso

Gérberas coloridas

acolhimento.

 

822

Tonalidade

girassol amarelo

exuberância.

 

823

Afortunados

kalanchoe alastra

Multicor jardins.

 

824

Penugem voa

prosperidade ciclos

dente de leão.

 

825

Dinheiro pencas

promessa abundância

bênçãos fartura.

 

826

Flor cerejeira

simboliza fartura

banhos atração.

 

827

Lavanda lilás

Segurança, proteção

banhos beleza.

 

828

Lírio laranja

Solitário alcova

Amor, atração.

 

829

Colibris jardins

asas transparentes

Altos, baixos.

 

830

Construção ninhos

simboliza morada

pássaros coloridos.

 

831

Estação flores

chuvosa, colorida

vocalização.

 

832

Árvores bosque

floresce grama verde

pássaro trina.

 

833

 

Arara azul

gostam voar em pares

comportamento

 

834

 

Céu pincelado

paleta colorida

brancura nuvens.

 

835

Mil andorinhas

pássaros migratórios

caçam insetos.

 

836

Zoam abelhas

Florada laranjeira

Favo melado.

 

837

Taramelando

arara-azul-grande

América do Sul.

 

838

Pequenos, grandes

beija-flor arrulha flor

flamboyanzinho.

 

839

Ancoradouros

Gaivotas pretas/brancas

Bandos grasnando.

 

840

Ave rapina

sobrevoa florestas

rápido, baixo.

 

841

Sol escaldante

rio, lago, lagoas

mar, maresia.

 

842

Estação verão

Tempo divertimento

Sol, alegrias.

 

843

Urubus, lua

tradição vassouras

fogueiras, gato.

 

844

Halloween 1745

gostosuras crianças

só travessuras.

 

845

Caldeirão, ervas

Pentagrama, os quatro

Velas, incensos.

 

846

Luzes fogueiras

abóboras acesas

velas coloridas.

 

847

Gato miando

poções mágicas fervem

Caldeirão ferro.

 

848

 

Todos os Santos

primeiro dia novembro

igrejas cristãs.

 

849

Novembro santo

bênçãos, axés altares

incenso queima.

 

850

Sino badala

Orquestra angelical

crentes celebram.

 

851

Santos, mártires

homenagem milenar

manter memória.

 

852

Celebração fé

reconhecer festejo

religiões cristãs.

 

853

Novembro almas

visitas cemitérios

rezas, lágrimas.

 

854

Falecimento

desaparecimento

flores enfeitam.

 

855

Arquiteturas

túmulos e mausoléus

morada morte.

 

856

Quem pode paga

arte cemiterial

bela lembrança.

 

857

Estátuas, anjos

carpideiras chorando

corações, cruzes.

 

858

Floreira tumbas

lápides, ornamentos

capitéis bronze.

 

859

Coroas caras

almas pedem orações

flores perecem.

 

860

Orla praia

sombreiro vegetação

calor sufoca.

 

861

Surfista corta

onda praia Campeche

malabarismo.

 

862

Festividades

sensibilidade, fé

Não chore, reze.

 

863

Mesa festiva

Natal familiares

Bênçãos divinas.

 

864

 

Missa do galo

aperfeiçoamento

reencontro Deus.

 

865

Renascimento

sentimentos fraternos

necessitados.

 

866

Foguetório mil

luzes pipocam nos céus

convidado 2022.

 

867

 

Renovar metas

mente humanidade

urgentíssimo.

 

868

 

Humanidade

doenças corpo mente

politicagem.

 

869

 

Impunidade

povo submisso

instituição falida.

 

870

 

Destruidores

mares impunidade

rede corruptos.

 

871

balcão negócios

conchavos políticos

toma lá, dá cá.

 

872

Feras arena

armadilhas prontidão

dinheiro mala.

 

873

Parada dura

câmara & Senado

baixo tapete.

 

874

Só retórica

promessas ganhar voto

sistema falha.

 

875

Crescem óbitos

aparecem mais vírus

faltam hospitais.

 

876

 

Galhos agitam

Suspiros folhas caem

Chegou outono.

 

877

Mata fechada

vaga-lume trabalha

traz luminância.

 

878

Música jardim

Melodia guizalhar

Grilos cantantes.

 

879

Rede varanda

Embala dorminhocar

Pombo arrolar.

 

880

 

Canto pássaro

Folhagens vegetação

jaboticaba.

 

881

Patos, marrecos

Beira lago vereda

grasnar, gracitar.

 

882

 

Odor aromas

Frutas pomar sítio

caqui maduros.

 

883

Fazenda vovô

Bicharada conversa

Brincam entre si.

 

884

Folhas ferrugem

lufada ventania

sopra grama.

 

885

Laranjal quintal

Já amadurecidas

Apanhar, comer.

 

 

886

São multicoloridas

avermelhadas, ouro

folhas outonais.

 

887

Brisas quadrantes

velozes beijam flores

trazem fragrâncias.

 

888

Pássaros, flores

hóspedes natureza

pajem Zéfiro.

 

889

Sarapintado

colibris esvoaçam

entre florada

 

890

 

Prosperidade

alegram passarada

fragrâncias flores.

 

891

 

Terraço casa

roseira trepadeira

trinar pássaros.

 

892

Jasmim-estrela

brancas aromáticas

pétalas flores.

 

893

 

Trombreta rósea

dipladênia floresce

estações calor.

 

894

 

Astromélia

mensageira bem-querer

laranja, vinho.

 

895

Arbusto Japão

camélias coloridas

bela perfeita.

 

896

Calçada, praças

paisagismo urbano

manacá roxo.

 

897

Cores vibrantes

decora ambiente

vaso gérberas.

 

898

Amareladas

altura orquídeas

enfeitam jardim.

 

899

Um lírio-da-paz

Otimismo, pureza

tranquilidade.

 

900

Jasmim do cabo

cultivo ornamental

branca, cerosas.

 

 

 

901

Espaço brumas

imensidão profunda

luar cinzento

 

902

Misterioso

tempo, vento, segredo

profundezas mar

 

903

Ar, ventania

cresce vaga escura

ondas explodem

 

904

Céu nevoento

crepúsculo tristonho

lamento vento

 

905

Tardes invernais

gotículas vidraças

sinos badalam

 

906

Sons melódicos

percorrendo distâncias

mar, infinito

 

907

Galhos desnudos

encurvados, gemidos

inexpressivo

 

908

Desabitado

vagalhões furiosos

chicoteiam cais

 

909

Sublimidade

presenteie antúrio

forma coração

 

910

Dente de Leão

vivências da infância

laços família

 

911

Flor rosmarino

Folhagens perfumadas

local Europa.

 

912

Um oratório

com seres espirituais

anjinhos de Deus

 

913

Crenças diversas

com Santos, Deuses, rituais

crentes felizes

 

914

Flores exóticas

rosa da primavera

Reino Unido

 

 915

Cores floradas

são multicoloridas

luxuriante

 

 916

Terra arada

Semeadura hábil

Colheita fértil

 

 917

Um arco-íris

Firmamento esplendor

Mágico, fugaz

 

918

Doces fragrâncias

nas inúmeras flores

que brotam em mim

 

919

Amor é elo

Unidos, corpo, alma

doce quimera

 

920

Muita preguiça

Praga de gafanhotos

alongam pernas

 

921

Beijos de amor

Na intensa floração

Vem o beija-flor

 

922

As saúvas levam

no minúsculo dorso

folhas de jasmim

 

 923

Construção ninhos

pássaros coloridos

tecem morada

 

924

Pobre mal-me-quer

todos querem desfolhar

na busca amor

 

925

A mão divina

pincelou bela tela

a natureza

 

926

Folhas viçosas

tons verde primavera

reverenciam Sol

 

927

Solaridade

tela aquarelada

asas hummingbird.

 

928

Bailado jardim

damas, flores abertas

notas nuances

 

929

Festival cores

sob aplausos crianças

desfile flores

 

930

Manhã setembro

olhares encantados

renascer vida

 

931

Pequenos, grandes

beija-flor arrulha flor

flamboyanzinho

 

932

Pérolas manhã

Gotejos orvalhados

protegem jasmim

 

933

Ipês germinam

estação da floração

múltiplas cores

 

934

Suspenso no ar

Para escolher flores

lindo colibri

 

935

Bando pássaros

revoam infinito

acrobacias

 

936

Centro floresta

sete anões esperam

Branca de Neve

 

937

Movimento de asas

Nos Ipês em florada

Balé mágico

 

938

No formigueiro

Tem compartimentos

Iguais as panelas

 

939

Na colônia

Soldados cabeçudos

Vigiam a frente

 

940

Foi-se a Rainha

As formigas perdidas

Morrem de fome

 

941

Bela Acácia

Constância eterna

Amor secreto

 

942

Amor-perfeito

Pensamentos trocados

Entre amantes

 

943

Dias veranico

preguiça me envolve

mar, sol, cerveja

 

944

Ventos outonal

tempestades assustam

só chuvaradas

 

945

Barrancos, casas

despencam morro abaixo

morrem pessoas

 

946

Alagamentos

Intempéries arrasam

Sobrevivência

 

947

Sobreviventes

enchentes lamacentas

mercê esmolas

 

948

Povo sofrido

Sem teto, alimento

ingovernável

 

949

Deslizamentos

frágeis corpos óbitos

ou sumidos

 

950

Solenidade

sacramento igrejas

Corpus Domini

 

951

Ruas floridas

cidade enfeitada

fiéis orando

 

952

Comemoração

a liturgia cristã

catolicismo

 

953

Artesanato

guarnecimento flores

passagem Cristo

 

954

É festa móvel

anterior Páscoa

comemoração

 

955

Tradição cristã

serragem colorida

flores cerradas

 

956

Contam milagre

a transubstanciação

vinho seu sangue

 

957

Solstício neve

inverno bate porta

espio, durmo

 

958

Cobertor cama

lã e pele carneiro

neva lá fora

 

959

Picos degelam

água excesso jorra

rios e mares

 

960

Pipoca fogão

quentão, pé-de-moleque

docinhos coco

 

961

Casamenteiro

Glória Santo Antônio

meninas oram

 

962

Quadrilha dança

alegres cantorias

foguetes, balões

 

963

Petiscos tendas

chocolate cremoso

bolinhos fubás

 

964

Meninos pulam

fogueiras acesas

queimam roupas

 

965

Quermesse praça

bandeirolas balançam

ventos quadrantes

 

966

A trovoada

aviso tempestade

chuva e vento

 

967

Chuva escorre

Silenciosamente

Vidraça porta

 

968

Fila formigas

buscam abrigo folhas

queda outono

 

969

Silêncio noite

Distante som estranho

Piar coruja

 

970

Sino igreja

três dobres duplos, morte

Nações lutuosas

 

971

As fantasias

trazem fadas, duendes

mundo magia.

 

972

Brigitte nome

conhecido fontes e

rios Irlanda

 

973

Um relógio

torre torta na matriz

horas erradas.

 

974

Canção de amor

embala os amantes

doce enlevo.

 

975

Na gruta pinga

a gota cristalina

livre e leve.

 

976

Sino do Templo

badala suave ar

Ave Maria.

 

977

Convento freiras

uma irmandade cristã

vivem clausura

 

978

Ensinamentos

a doutrina budista

fim sofrimento

 

979

No Hinduísmo

escrituras sagradas

deuses das tribos.

 

980

Penas flutuam

sobre espumas no mar

sopro da brisa.

 

981

Som sinfonia

os grilos inquietos

fazem barulho.

 

982

Colher de pau

lenha, taxo de cobre

raspas crianças

 

983

Lagoa flores

aromas inebriam

exalam no ar.

 

984

Embarcações mar

bacalhoeiros Portugal

gastronomia

 

985

Os pescadores

na laguna dos Patos

bagre, cascudo.

 

986

Silêncio noite

relógio prata marca

vinte e quatro.

 

987

Flores tingidas

enxada cava terra

roupa de luto.

 

988

Óbitos rondam

sem escolha idade

por vírus COVID

 

989

Na cruz sorrindo

lavouras da fazenda

espantalho só.

 

990

Cachorro late

Cuida casa e dono

Sacode rabo.

 

991

Um céu pedrento

Pedro abriu porta

anjos da chuva

 

992

Pedras branquinhas

Inúmeros granizos

Cobrem calçadas.

 

993

Pedestres fogem

Chuvarada insiste

Sem guarda-chuva

 

994

Cem convidados

casamento marcado

Pároco altar.

 

995

Noivos chegando

Igreja decorada

Flor laranjeira.

 

996

No vasto jardim

Crisântemos amarelos

Balançam vento.

 

997

Pétalas caem

Um tapete vermelho

Vereda brisa.

 

998

Jardim inverno

Caramanchão madeira

flor madressilva

 

999

Os pergolados

cobertura de palha

descanso quintal

 

1000

Grafia haikai

natureza humana

versejar 1000.